[vc_row][vc_column][vc_hoverbox image=”2262″ primary_title=”Naquele bairro Encantado” primary_title_font_container=”color:%23ffffff” primary_title_use_theme_fonts=”yes” hover_title=”Episódio II: Ensaio para uma Serenata” shape=”square” use_custom_fonts_primary_title=”true” reverse=”true”]Em Naquele Bairro Encantado, primeira criação do Teatro Público, um grupo de atores mascarados, caracterizados como velhos, se insere no cotidiano de um bairro trazendo à tona histórias e hábitos do passado, num jogo capaz de gerar grande curiosidade na população local, pois os atores nunca retiram as máscaras, deixando sua identidade oculta.[/vc_hoverbox][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”2/3″][vc_tta_accordion][vc_tta_section title=”Apresentação” tab_id=”apresentacao”][vc_column_text]Espetáculo: Naquele Bairro Encantado – Episódio II: Ensaio para uma Serenata

Grupo: Teatro Público

Espetáculo de rua itinerante / Duração: 120min / Classificação: livre.


Em Naquele Bairro Encantado, primeira criação do Teatro Público, um grupo de atores mascarados, caracterizados como velhos, se insere no cotidiano de um bairro trazendo à tona histórias e hábitos do passado, num jogo capaz de gerar grande curiosidade na população local, pois os atores nunca retiram as máscaras, deixando sua identidade oculta. Ao trazerem uma imagem saudosista de um tempo que já se foi, os velhos despertam a memória dos moradores e os convidam a compartilhar também suas lembranças, histórias e imagens. Desse modo, os habitantes locais não são vistos como público, mas como parceiros de um jogo que se constrói em cena aberta pelos diversos espaços do bairro. Os moradores tornam-se, então, espectadores e participantes de um teatro que, de forma tácita e sutil, invade o seu cotidiano.

Criado em 2011 a partir de um processo de habitação teatral no bairro Lagoinha em Belo Horizonte, o espetáculo se fundamenta nos princípios cênicos das máscaras populares brasileiras, na intervenção urbana e em conceitos da estética relacional. A partir destas referências, o espetáculo explora e problematiza os limites entre ficção e realidade dentro de um contexto urbano.

Naquele Bairro Encantado é composto por dois episódios diferentes e independentes que são apresentados separadamente. O Episódio II: Ensaio para uma Serenata é um espetáculo de rua itinerante, em que o grupo sai pelas ruas oferecendo canções nas residências, com um repertório constituído de canções populares de meados do século passado, despertando as memórias dos moradores.[/vc_column_text][/vc_tta_section][vc_tta_section title=”Sinopse” tab_id=”sinopse”][vc_column_text]Naquele Bairro Encantado – Episódio II: Ensaio para uma Serenata

Um grupo de velhos mascarados visita um bairro da cidade povoando o cotidiano com imagens saudosistas do passado. No espetáculo Itinerante “Ensaio para uma Serenata”, o grupo sai pelas ruas oferecendo canções nas residências, com um repertório constituído de canções populares de meados do século passado, despertando as memórias dos moradores.[/vc_column_text][/vc_tta_section][vc_tta_section title=”Ficha Técnica” tab_id=”ficha-tecnica”][vc_column_text]Direção: Rogério Lopes
Dramaturgia: Larissa Alberti
Atuação: Diego Poça, Larissa Alberti. Luciana Araujo, Marcelo Alessio, Rafael Bottaro, Rafaela Kênia
Direção musical e preparação vocal: Eberth Guimarães
Criação e confecção de máscaras: Fernando Linares
Figurinos: Juliana Floriano
Fotografia e Produção Audiovisual: Naum Audiovisual[/vc_column_text][/vc_tta_section][vc_tta_section title=”Divulgação” tab_id=”divulgacao”][vc_column_text]Modelo de divulgação:

Grupo: Teatro Público

Espetáculo: Naquele Bairro Encantado – Episódio II: Ensaio para uma Serenata

Dia 21/06 – Sexta Feira

Horário: 18h

Local: se inicia na Rua K e segue até Rua Capitão Sérgio Pires, no bairro Minas Caixa (Itinerante).[/vc_column_text][/vc_tta_section][vc_tta_section title=”Observações Adicionais” tab_id=”obs-adicionais”][vc_column_text]Necessidade Técnica

 

Observações

 

Camarim

O espaço a ser utilizado como camarim para preparação da equipe pode ser uma pequena sala de algum espaço do bairro. Deve conter espelho e ferro de passar roupas com mesa apropriada.[/vc_column_text][/vc_tta_section][/vc_tta_accordion][/vc_column][vc_column width=”1/3″][vc_empty_space][vc_message icon_fontawesome=”fa fa-map-marker”]Dia 21/06 – Sexta Feira

Horário: 18h

Local: se inicia na Rua K e segue até Rua Capitão Sérgio Pires, no bairro Minas Caixa (Itinerante).[/vc_message][vc_images_carousel images=”2261,2262,2263″ img_size=”400×300″ autoplay=”yes” wrap=”yes”][vc_video link=”https://vimeo.com/137995914″ align=”center” title=”Teaser”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_gmaps link=”#E-8_JTNDaWZyYW1lJTIwc3JjJTNEJTIyaHR0cHMlM0ElMkYlMkZ3d3cuZ29vZ2xlLmNvbSUyRm1hcHMlMkZlbWJlZCUzRnBiJTNEJTIxMW0xOCUyMTFtMTIlMjExbTMlMjExZDM3NTMuODYzNzk1NTIyMDM5NyUyMTJkLTQzLjk2MDc4NTU4NTA4NzUyJTIxM2QtMTkuODAzMzcxNDg2Njc0ODYlMjEybTMlMjExZjAlMjEyZjAlMjEzZjAlMjEzbTIlMjExaTEwMjQlMjEyaTc2OCUyMTRmMTMuMSUyMTNtMyUyMTFtMiUyMTFzMHhhNjhmOTcyODQ3ZGQxZCUyNTNBMHg5MDI2YjAxMGM2ZjQ4NmNhJTIxMnNSLiUyQkslMkItJTJCQ29uanVudG8lMkJNaW5hcyUyQkNhaXhhJTI1MkMlMkJCZWxvJTJCSG9yaXpvbnRlJTJCLSUyQk1HJTI1MkMlMkIzMTYxNS01NDUlMjE1ZTAlMjEzbTIlMjExc3B0LUJSJTIxMnNiciUyMTR2MTU2MTEzMDUxNzMyOSUyMTVtMiUyMTFzcHQtQlIlMjEyc2JyJTIyJTIwd2lkdGglM0QlMjIxMDAlMjUlMjIlMjBoZWlnaHQlM0QlMjI0NTAlMjIlMjBmcmFtZWJvcmRlciUzRCUyMjAlMjIlMjBzdHlsZSUzRCUyMmJvcmRlciUzQTAlMjIlMjBhbGxvd2Z1bGxzY3JlZW4lM0UlM0MlMkZpZnJhbWUlM0U=” title=”Rua K até Rua Capitão Sérgio Pires, Minas Caixa”][/vc_column][/vc_row]